A Random Image

Vamos nadar?!

Por Tatiana Caramico

O contato com a água ainda nos primeiros meses de vida favorece a saúde e proporciona um momento intenso de prazer e descobertas para os bebês. Além de melhorar a coordenação motora, auxilia no aprendizado das noções de espaço e tempo, preparando a criança psicologicamente para o auto-salvamento. As resistências muscular e cardiorrespiratória também ajudam a compor a lista dos benefícios. Mais ainda é pouco: sono tranquilo e apetite aguçado são outras vantagens que as mamães sentem de imediato com a rotina das aulas.
A partir dos seis meses de idade e com a devida autorização do pediatra, a criança já pode frequentar as aulinhas. Um dos principais motivos para que os primeiros meses do bebê sejam preservados é que, nesse período, a probabilidade de ocorrer inflamações de ouvido – as otites – são maiores. Mas isso não quer dizer que o pequeno deva restringir o contato com a água apenas na rotina dos banhos. Então, mantenha-o habituado a estar com bastante água na banheira, afinal de contas, não será um ambiente tão estranho tendo em vista os longos meses de ‘mergulho’ na barriga da mamãe. Na banheira, brinque, permita-se passar um longo tempo com ele. A interação com jogos e até aqueles bichinhos que fazem barulho, por exemplo, ajudam a superar o desconforto inicial e o receio provocado por esse novo espaço. Além disso, aos poucos, aumente o contato da água na cabeça e no rostinho para ele ir se acostumando aos poucos e não estranhar na hora de estrear na piscina.

Já pra piscina!
Para o bebê, nadar significa movimentar braços e perninhas e fazer pequenos mergulhos.
E até que esse último aconteça, leva tempo. É preciso ter calma, paciência e disciplina nas aulas.
Inicialmente, orienta-se praticar duas vezes por semana com duração de 30 minutos, no máximo.
Tudo para que não se torne muito cansativo e que, no período da aula, a atenção do bebê seja otimizada. Com o passar dos aninhos, naturalmente, a dedicação tende a aumentar. Contudo, cada criança aprende ao seu tempo.
Mesmo sendo uma atividade física completa, já que estimula todas as partes do corpo, a frequência continua sendo a chave para a confiança e o aprendizado. A presença da mãe ou do pai é extremamente aconselhada. Esse contato fortalece o laço afetivo e da confiança mútua com os pais, além de ajudar o pequeno a condicionar o movimento que, na água, encontram menos resistência.
Como o peso da gravidade é bem menor, o corpo literalmente aprende a nadar brincando. Assim, evite faltar nas aulas, para que a criança fique em contato a piscina sempre que possível.
O contato inicial com a água deve ser recheado de estímulos. E a orientação de um profissional especializado é fundamental. Da mesma forma, músicas tendem a estimular a memória e aumentam o vocabulário do bebê. Reconhecer as imagens dos materiais utilizados em aula também contribui nesse direcionamento. E ainda tem mais. A parceria é tanta nessa fase que, quando as crianças estão largando a fralda, a aula também reforça a importância de ir ao banheiro
para fazer xixi.

Local: uma escolha muito importante
Pode parecer simples, mas não é não. Saber escolher uma boa escola de natação é uma tarefa que exige cuidado e atenção. Referência é sempre bom. E saiba que, às vezes, a mais próxima da sua casa pode não ser a opção mais acertada.

É fundamental que a escola dê a devida atenção à criança e disponha de um professor exclusivamente instruído para ministrar aulas aos pequenos, pois a abordagem é bem diferente da usada em aulas para adultos, por exemplo.
Segurança é outro quesito que deve ser checado. Eventuais quedas podem ser evitadas, ensinado os pequenos que já começaram a dar os primeiros passos que ficar em volta da piscina não é permitido. De qualquer maneira, as escolas podem colocar algumas proteções e cordas que, inclusive, restringem o espaço das crianças na piscina. Em suma, tudo precisa ser minuciosamente pensado para evitar imprevistos.
Outra questão está relacionada ao tipo de tratamento dado à água da piscina. Além de limpa e aquecida, se ela for salinizada é ainda melhor. Apesar do alto investimento no equipamento e na contratação de técnicos, muitas escolas estão adotando esse recurso para diminuir a irritação nos olhos, nariz, pele e cabelos provocada pelo cloro.

Conheça todos os benefícios da natação para os pequenos

1. A natação estimula o desenvolvimento psicomotor do bebê, sua coordenação motora e
também as noções de espaço e tempo.
2. O contato com a água pode (e deve) ser muito divertido, pois proporciona momentos de
intensa felicidade. Assim, contribui para o domínio afetivo e de interação social com a
professora e seus colegas de turma.
3. A adaptação ao meio aquático é um aprendizado fundamental desde pequeno. Afinal de
contas, o torna física e psicologicamente mais preparado para o auto-salvamento.
4. Criar um espaço lúdico e de lazer ajuda nesse processo. Ele ficará mais ágil para engatinhar,
sentar, andar ou correr.
5. Aumenta a resistência cardiorrespiratória, faz o coração bater rápido e a respiração
aumentar. Além disso, ajuda a prevenir várias doenças respiratórias, como rinites e sinusites.
6. O apetite cresce significativamente em função da rotina na prática de exercícios.
7. Seu bebê terá mais facilidade para dormir.